João Sousa estreia-se em casa a vencer e confessa “Sou muito emotivo”

Millennium Estoril Open 2019, round of 32, Joao Sousa (POR) no jogo contra Alexei Popyrin (AUS) Fotografia ©JLpress/RuiElias
Mil­len­ni­um Esto­ril Open 2019, round of 32, Joao Sousa (POR) no jogo con­tra Alex­ei Popy­rin (AUS) Fotografia ©JLpress/RuiElias

Tin­ha pela frente um adver­sário muito jovem, mas muito moti­va­do, que veio do qual­i­fy­ing e con­sid­er­a­do um dos mais promis­sores tenistas da sua ger­ação. O jogo não começou da mel­hor maneira para o número 1 por­tuguês, mas no final tudo acabou bem e João Sousa venceu Alex­ei Popy­rin. Rumo aos oitavos, o jogador por­tuguês tem ago­ra pela frente David Gof­fin.

O Está­dio Mil­len­ni­um vibrou à entra­da do por­tuguês mel­hor de sem­pre que nes­ta 5ª edição do Esto­ril Open tem uma respon­s­abil­i­dade acresci­da – a defe­sa do títu­lo con­quis­ta­do o ano pas­sa­do a Frances Tiafoe.

O encon­tro não começou da mel­hor maneira para João Sousa, o que ele atribuiu ao “ner­vo­sis­mo de estar a jog­ar em casa, de quer­er muito vencer e jog­ar no seu mel­hor”. Mas, o públi­co não o deixou que­brar e o por­tuguês con­seguiu dar a vol­ta ao jogo, recu­peran­do os pon­tos per­di­dos, aca­ban­do por gan­har o primeiro set ao jovem aus­traliano.

o públi­co foi irrepreen­sív­el, espe­cial­mente no iní­cio do jogo. Foram eles que me per­mi­ti­ram recu­per­ar o vencer o primeiro set. Com a ban­ca­da quase cheia, o ambi­ente foi mes­mo fan­tás­ti­co”, afir­mou o tenista da casa.

Mas, o jogo seria tudo menos fácil e no segun­do set, João Sousa voltou a não jog­ar no seu mel­hor, o que provo­cou algu­mas man­i­fes­tações mais emo­ti­vas por parte do tenista que ora se diri­gia à sua equipa téc­ni­ca, ora ao pai e família que o apoia­va da ban­ca­da.

Sou muito emo­ti­vo. Aqui é bom porque ten­ho várias ‘frentes de com­bate’ e como estão em lados difer­entes vou assim descar­regan­do as emoções”, con­tou bem dis­pos­to o tenista.

Millennium Estoril Open 2019, round of 32, Alexei Popyrin no jogo contra Joao Sousa (POR) | Fotografia de ©JLpress/RuiElias
Mil­len­ni­um Esto­ril Open 2019, round of 32, Alex­ei Popy­rin no jogo con­tra Joao Sousa (POR) | Fotografia de ©JLpress/RuiElias

Neste segun­do set, de fac­to, Popy­rin lev­ou a mel­hor, mostran­do toda a sua cat­e­go­ria téc­ni­ca: a força do serviço, o con­t­role do pon­to com a dire­i­ta, ali­a­dos a uma boa defe­sa.

Mas, no ter­ceiro e deci­si­vo set, João Sousa mostrou de que fibra se fazem os campeões e con­seguiu anu­lar os pon­tos fortes do adver­sário que o próprio Sousa con­sid­era “ um tenista muito com­ple­to, com rit­mo e muito perigoso”.

Com uma ovação de pé do públi­co que incan­sáv­el nun­ca deixou o por­tuguês desi­s­tir, João Sousa acabaria por vencer por 6–4, 2–6 e 6–2 . Que­bra­do o enguiço dos primeiros três anos do torneio por­tuguês, em que João Sousa nun­ca con­seguia pas­sar da primeira ron­da e com o alme­ja­do títu­lo no 4º ano da con­sagração, espera-se que este 5º seja o da reval­i­dação. Para já João Sousa ruma aos oitavos…

Millennium Estoril Open 2019, round of 32, Joao Sousa no jogo contra Alexei Popyrin ¬ Fotografia de ©JLpress/RuiElias
Mil­len­ni­um Esto­ril Open 2019, round of 32, Joao Sousa no jogo con­tra Alex­ei Popy­rin ¬ Fotografia de ©JLpress/RuiElias

Sobre o seu próx­i­mo adver­sário, David Gof­fin, o campeão nacional adiantou: “Nós já nos con­hece­mos muito bem. Eu acred­i­to que ten­ho nív­el para ele e sin­to que sou capaz de atin­gir esse nív­el, mas vai ser muito difí­cil. Sei que lhe gan­hei o últi­mo encon­tro, mas foi em condições muito dis­tin­tas”.

Pas­sa­do o ner­vo­sis­mo ini­cial João Sousa acres­cen­ta: “Estou mais con­fi­ante, o próx­i­mo adver­sário é muito difí­cil, já jogá­mos várias vezes. Ago­ra é des­fru­tar, des­cansar e recu­per­ar da mel­hor maneira”, porque esta quin­ta-feira é dia de entrar nova­mente em cam­po, em sin­gu­lares.

Tiafoe acompanha Sousa

Millennium Estoril Open 2019, round of 32, Frances Tiafo no jogo contra Mikhail Kukushkin | Fotografia de ©JLpress/RuiElias
Mil­len­ni­um Esto­ril Open 2019, round of 32, Frances Tiafo no jogo con­tra Mikhail Kukushkin | Fotografia de ©JLpress/RuiElias

Apu­ra­do tam­bém para os oitavos-de-final foi o out­ro pro­tag­o­nista da final do ano pas­sa­do que então perdeu o troféu para o por­tuguês. Falam­os do tenista norte-amer­i­cano Frances Tiafoe que bateu o tenista do Casaquistão Mikhail Kukushkin, em dois ‘sets’, por 6–3 e 7–5.

Nos oitavos de final, o tenista norte-amer­i­cano, oita­vo pré-des­ig­na­do, vai jog­ar com o nipóni­co Yoshi­hi­to Nish­io­ka.

Carreno Busta em fase de recuperação

Millennium Estoril Open 2019, round of 32, Pablo Carreno Busta no jogo contra Jeremy Chardy | Fotografia de ©Jlpress/RuiElias
Mil­len­ni­um Esto­ril Open 2019, round of 32, Pablo Car­reno Bus­ta no jogo con­tra Jere­my Chardy | Fotografia de ©Jlpress/RuiElias

Já o espan­hol Pablo Car­reño Bus­ta cedeu no primeiro embate da quin­ta edição do Mil­len­ni­um Esto­ril Open face ao expe­ri­ente francês Jérémy Chardy por 5–7, 6–1 e 6–2. O tenista com os mel­hores resul­ta­dos nos últi­mos 4 anos do torneio do Esto­ril, foi, assim, afas­ta­do da com­petição lusa, onde sem­pre con­tou com o apoio dos muitos fãs que angar­i­ou entre os amantes de ténis nacionais.

Paula Lamares

paula.shortstories@gmail.com

Nota do Editor:

A JLpress deixa aqui um espe­cial agradec­i­men­to à Fuji­film Por­tu­gal que decid­iu apoiar-nos nes­ta aven­tu­ra com mate­r­i­al fotográ­fi­co da série X

De fac­to tan­to as câmaras xt2 e xt3 como as objec­ti­vas Fuji­non colo­cadas à nos­sa dis­posição têm tido um desem­pen­ho fan­tás­ti­co per­mitin­do ao fotó­grafo Rui Elias e a mim próprio, a real­iza­ção das ima­gens que ilus­tram os nos­sos arti­gos, post de face­book e insta­gram e fotografias disponi­bi­lizadas na JLpress Image Stock.

Sem este apoio este tra­bal­ho não seria pos­sív­el.

Siga a Fuji­film no insta­gram

Siga a Fuji­film no Face­book

Siga-me

Paula Lamares

Depois fui amanhecendo, um fiozinho de mim por ali afora, dias adentro de varanda ao colo. Até que comecei a pegar aos poucos na rédea do enfado, a realidade menos pegajosa e morna, devagarinho a vestir-me de mim:... Acendia-se as primeiras luzes na serra. Se me desse na veneta hoje voltaria a escrever. Desde então não paro de nascer.
Paula Lamares
Siga-me