Formula 1: Monza será sempre Monza

Adver­tise­ments
RSS
GOOGLE
https://jlpress.com/artigo/formula-1-monza-sera-sempre-monza-25768/
YouTube
INSTAGRAM
SOCIALICON

Kimi Raykkonen, Ferrari SF71H #7, Volta mais rápida de sempre na Formula 1. Foto Scuderia Ferrari
Kimi Raykko­nen, Fer­rari SF71H #7, Vol­ta mais ráp­i­da de sem­pre na For­mu­la 1. Foto Scud­e­ria Fer­rari

O cir­cuito de Mon­za é um cir­cuito caris­máti­co. É difi­cil não assi­s­tir­mos a uma cor­ri­da empol­gante. É o ter­ceiro cir­cuito mais anti­go, o que rece­beu mais cor­ri­das de F1 e o mais rápi­do do actu­al cal­endário. É por tradição o cir­cuito “da Fer­rari”, aque­le onde a mar­ca ital­iana quer vencer, mais que em qual­quer out­ro. Mon­za é o cir­cuito que des­per­ta paixões, que cla­ma por emoções fortes com as suas rec­tas lon­gas e chi­canes de trav­agem que colam o coração às costas do ban­co. Mon­za foi assim no últi­mo GP de Itália de For­mu­la 1.

A primeira grande sur­pre­sa veio das qual­i­fi­cações com os dois Williams a chegarem à Q2 e o de Stroll a pas­sar à Q3 com um ines­per­a­do 8º tem­po. Os Williams já tin­ham dado um ar da sua graça no Aze­bai­jão. O cir­cuito de Baku é o segun­do mais rápi­do do campe­ona­to e, na altura , Lance Stroll ficou às por­tas da Q3.

Na Q3 Stroll ficou-se pelo 10º lugar, mas a sua mar­ca ficou lá.

Lance Stroll, Williams FW41 with aero paint on rear wing at Formula One World Championship, Rd14, Italian Grand Prix, Practice, Monza, Italy, Friday 31 August 2018. © Mark Sutton/Sutton Images
Lance Stroll, Williams FW41 with aero paint on rear wing at For­mu­la One World Cham­pi­onship, Rd14, Ital­ian Grand Prix, Prac­tice, Mon­za, Italy, Fri­day 31 August 2018. © Mark Sutton/Sutton Images

A segun­da grande sur­pre­sa veio de parte da equipe da casa e do seu fin­landês. Mes­mo no final da qual­i­fi­cação, Kimi Raykko­nen e o seu Fer­rari SF71H, real­izam a vol­ta mais ráp­i­da de sem­pre na For­mu­la 1. Uma vol­ta com­ple­ta ao cir­cuito de Mon­za a uma média supe­ri­or a 263Km/h; Alu­ci­nante. Kimi faz a sua segun­da pole após o retorno à For­mu­la 1, ladea­do pelo seu cole­ga Sebastien Vet­tel, ofer­e­cem aos Tiffosi a primeira ale­gria do fim de sem­ana: A 1ª lin­ha é da Fer­rari!

Grande Prémio de Italia, Monza, Partida. Foto Scuderia Ferrari.
Grande Prémio de Italia, Mon­za, Par­ti­da. Foto Scud­e­ria Fer­rari.

Um dos prin­ci­pais momen­tos do grande prémio de Italia, quan­do se real­iza em Mon­za, é a primeira vol­ta. A abor­dagem à primeira chi­cane é o primeiro momen­to de grande ten­são; Se aí não hou­ver grandes estra­gos, então temos a 2ª chi­cane e depois as duas cur­vas de Lesmo.

Este grande prémio não foi excepção. Vet­tel não arran­cou bem e per­mi­tiu a aprox­i­mação de Hamil­ton. O alemão segurou o bri­tan­i­co na 1ª chi­cane, mas o Mer­cedes esta­va endia­bra­do e entra na segun­da chi­cane na frente do Fer­rari. Por fora, mas na frente. Os dois car­ros tocam-se, quase de for­ma imper­cep­tív­el, mas o sufi­ciente para que o car­ro ital­iano par­ta a asa da frente e faça um pião. Vet­tel cai para últi­mo. O Toro Rosso de Hart­ley tam­bém fica na 1ª vol­ta e a direção de cor­ri­da faz sair o safe­ty car. Menos mau para Vet­tel e o seu fer­rari que des­ta for­ma min­i­mizaram os danos e perder­am o menor tem­po pos­sív­el com a tro­ca de nar­iz do car­ro e pneus. Vet­tel sai com pneus macios (amare­los). Todos os out­ros estão com os pneus super-macios com que ini­cia­ram a cor­ri­da.

O inci­dente da primeira vol­ta dita uma mudança de estraté­gia do Fer­rari nº 5. Vet­tel faz ago­ra um primeiro turno lon­go ten­tan­do recu­per­ar o máx­i­mo pos­sív­el de lugares antes da segun­da tro­ca de pneus que se espera que faça para pneus super-macios, mais rápi­dos, logo mais favo­raveis a um sprint final muito forte.

O mer­cedes de Hamil­ton está muito rápi­do e con­segue pas­sar Raykko­nen no retomar da cor­ri­da, mas o fin­landês não está pelos ajustes e recu­pera a posição na segun­da chi­cane. Ver­stap­pen segue em ter­ceiro e, os dois Williams, em 8º e 9º. Muito bom para a escu­d­aria britâni­ca que atrav­es­sa um perío­do difi­cil.

Sebastien Vettel, Ferrari SF71H #5. Fotografia Scuderia Ferrari
Sebastien Vet­tel, Fer­rari SF71H #5. Fotografia Scud­e­ria Fer­rari

Vet­tel con­tin­ua a sua cav­al­ga­da e na 15ª vol­ta já é 10º com Lance Stroll (Williams), Ser­gio Perez (Force India) e Car­los Sainz (Renault) na sua frente. Nada que o fer­rari não con­si­ga resolver com facil­i­dade.

Hamil­ton aprox­i­ma-se de Raykko­nen, mas o fin­landês con­segue segurá-lo a mais de um segun­do de dis­tân­cia, evi­tan­do o uso de DRS que só pode ser aciona­do se a difer­ença para o pilo­to da frente for infe­ri­or a 1s.

Vet­tel já subiu para 7º e tem ago­ra Ocon pela frente. O francês da Force India dá luta e a ascenção do fer­rari à 6ª posição, não são “favas con­tadas”.

Esteban Ocon (FRA) Racing Point Force India F1 VJM11.
Este­ban Ocon (FRA) Rac­ing Point Force India F1 VJM11. Ital­ian Grand Prix, Sun­day 2nd Sep­tem­ber 2018. Mon­za Italy.

Na vol­ta 25, Ric­cia­r­do parte no motor do Red Bull. O motor era novo, fora intro­duzi­do nes­ta cor­ri­da sendo Ric­cia­r­do penal­iza­do com o últi­mo lugar da grel­ha. Ago­ra, com a neces­si­dade de sub­sti­tuir out­ra vez o motor, a situ­ação repete-se para o prox­i­mo grande prémio em Sin­ga­pu­ra. Uma dor de cabeça que a equipa dis­pen­sa­va.

Raykko­nen já tro­cou de pneus para os macios, segue ago­ra em ter­ceiro atrás de Hamil­ton e Bot­tas e na frente de Vet­tel. Hamil­ton retar­da o mais pos­sív­el a sua tro­ca de pneus, mas aca­ba por entrar. Bot­tas e Raykko­nen pas­sam, mas Vet­tel fica a 9s do mer­cedes do britâni­co. A Mer­cedes tem o jogo a seu favor.

Raykko­nen ten­ta por tudo desen­ven­cil­har-se do seu com­pa­tri­o­ta da Mer­cedes, mas Bot­tas sabe o que tem de faz­er e fá-lo muito bem. O fin­landês da mer­cedes  segu­ra o fin­landês da fer­rari até que Hamil­ton chegue, depois entra na box, deixan­do a res­olução da cor­ri­da para quem de dire­ito. Vet­tel já entrara na box e tro­cara para pneus super-macios como era de esper­ar. No entan­to, a estraté­gia da fer­rari para o alemão perde grande parte do efeito quan­do os mer­cedes con­seguem atrasar as respec­ti­vas par­a­gens de for­ma tão sig­nifi­v­a­ti­va.

Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1 W09 EQ Power +. Photo Wolfgang Wilhelm
Valt­teri Bot­tas, Mer­cedes AMG F1 W09 EQ Pow­er +. Pho­to Wolf­gang Wil­helm

Se a cor­ri­da esta­va a ser exi­gente para Raykko­nen, ago­ra entra­va num ver­dadeiro infer­no. Hamil­ton man­tinha-se a menos de um segun­do do fer­rari. vol­ta após vol­ta. O mer­cedes era clara­mente mais rápi­do e só a mes­tria do fin­landês lhe per­mi­tia man­ter-se na frente.

Mais atrás a cena repetia-se com Ver­stap­pen e Bot­tas. Aqui com o fin­landês a pes­sion­ar o bel­ga da Red Bull. O mer­cedes ten­ta pas­sar o Red Bull na trav­agem para a 1ª chi­cane mas Ver­stap­pen aguen­ta.

Max Verstappen, Red Bull Racing RB14 at Formula One World Championship, Rd14, Italian Grand Prix, Qualifying, Monza, Italy, Saturday 1 September 2018. © Manuel Goria/Sutton Images
Max Ver­stap­pen, Red Bull Rac­ing RB14 at For­mu­la One World Cham­pi­onship, Rd14, Ital­ian Grand Prix, Qual­i­fy­ing, Mon­za, Italy, Sat­ur­day 1 Sep­tem­ber 2018. © Manuel Goria/Sutton Images

Na vol­ta seguinte Bot­tas insiste e Ver­stap­pen vol­ta a segu­rar, alargan­do a tra­jec­tória e obri­g­an­do o mer­cedes a seguir pela escap­atória. Na nos­sa opinião uma manobra limpa, pois o mer­cedes não chegara a pas­sar o Red Bull. Já vimos o bel­ga faz­er muitas asneiras, mas não des­ta vez. Os comssários assim não enten­der­am e, numa ati­tude que não é inédi­ta em Mon­za, penal­izam o pilo­to da Red Bull em 5 segun­dos. Não fos­se esta inter­fer­ên­cia e Ver­stap­pen teria alcança­do um mere­cidis­si­mo 3º lugar.

Final­mente, na vol­ta 45, Kimi Raykko­nen cede per­ante a pressão de Hamil­ton. O mer­cedes é clara­mente mais rápi­do e o fer­rari começa a acusar o des­gaste e não aju­da. Kimi não tem escol­ha, mais vale chegar em segun­do que não chegar.

Monza, Grande Prémio de Italia, Totto Wolf com Dieter Zetsche Ceo Daimler Benz AG, foto Wolfgang Wilhelm
Mon­za, Grande Prémio de Italia, Tot­to Wolf com Dieter Zetsche Ceo Daim­ler Benz AG, foto Wolf­gang Wil­helm

Hamil­ton Gan­ha a cor­ri­da, provavel­mente uma das mais extra­ordinárias cor­ri­das da sua car­reira e uma das mel­hores da pre­sente época. Raykko­nen fica em segun­do e, à con­ta da penal­iza­ção de Ver­stap­pen, Bot­tas em ter­ceiro e Vet­tel em 4º.

Os dois Force India vol­ta a ter­mi­nar nos 10 primeiros atrás do Haas de Gros­jean e na frente do Renault de Car­los Sainz (9º) e do Williams de Lance Stroll (10º). Para além dos Fer­rari e Mer­cedes, a Rac­ing Point Force India é a úni­ca que colo­ca os dois car­ros nos 10 primeiros, um resul­ta­do prom­ete­dor para uma equipa que esteve quase a desa­pare­cer. Bem hajam os seus investi­dores.

Mais Sobre a F1

© Manuel Goria/Sutton Images

Similar Posts: