Formula 1: Que esperar de 2018

Que mudanças para 2018
Qual a resposta dos construtores?
Alfa Romeo Sauber assume os riscos.
Barcelona recebe primeiros testes da temporada de 2018

Após as fortes mudanças reg­u­la­mentares de 2017, não seria de esper­ar uma mudança sig­ni­fica­ti­va para 2018. No entan­to, as “peque­nas mudanças” imple­men­tadas pelo reg­u­la­men­to terão um forte impacto no com­por­ta­men­to e rendi­men­to dos car­ros para 2018. Sejam elas aerod­inâmi­cas ou mecâni­cas.

A primeira e mais fal­a­da alter­ação imple­men­ta­da em 2018, é o Halo. O Halo tem como função a pro­teção do cock­pit (se preferirem do pilo­to) em aci­dentes que esta zona fica mais vul­neráv­el. É uma peça com­ple­ta­mente dis­rup­ti­va, visual­mente e aero­d­i­nami­ca­mente, e um prob­le­ma desafi­ante para os engen­heiros. Para se ter uma ideia, o Halo pesa cer­ca de 7Kg , segun­do as difer­entes infor­mações das mar­cas (O jor­nal­ista Marc Priest­ley defende que, com todos os com­po­nentes de fix­ação, pode chegar aos 10Kg) , sendo que o reg­u­la­men­to aumen­tou o peso do car­ro em 5Kg, pelo que todo o exces­so terá de ser com­pen­sa­do de out­ra for­ma…

Aero­d­i­nami­ca­mente, o Halo, é um prob­le­ma. Des­ta for­ma, grande parte do esforço desen­volvi­do, foi no sen­ti­do de afas­tar as cor­rentes de ar da sua área de influên­cia, ou mel­hor dizen­do, diminuir essa área de influên­cia ao mín­i­mo. A real­i­dade é que o Halo está lá em todos os car­ros e só em cor­ri­da poder­e­mos perce­ber quem con­tornou o prob­le­ma da mel­hor for­ma. Ain­da assim, muitos acred­i­tam que este é um prob­le­ma tem­porário, pois não demor­ará muito a ser descar­ta­do. Seja retor­nan­do à for­ma orig­i­nal, seja descorti­nan­do uma solução menos dis­fun­cional.

Out­ra das mudanças que vai deixar “mossa”, tem a ver com  o número de motores disponíveis (3) que cada pilo­to terá durante a época que, este ano é ape­nas e só a maior de sem­pre, com 21 grandes prémios. Lem­bre-se que no ano pas­sa­do eram 4 motores para uma época de 20 grandes prémios e que não há muito tem­po eram 8.

Quem não cumprir com esta regra será penal­iza­do com pon­tos (noutro arti­go falare­mos sobre isto) e quem tiv­er 15 ou mais pon­tos de penal­iza­ção, será recam­bi­a­do para o fim da grel­ha. Se hou­ver mais que um pilo­to nes­tas cir­cun­stân­cias, o que tiv­er rece­bido a penal­iza­ção primeiro, ficará à frente.

Out­ra mudança imple­men­ta­da na área da mecâni­ca é a quan­ti­dade de óleo que cada car­ro pas­sa a ter disponív­el por 100Km (6 Litros do mes­mo tipo). A real­i­dade é que os con­stru­tores desco­bri­ram que se intro­duzis­sem uma peque­na quan­ti­dade de óleo na câmara de com­bustão, con­seguiam um incre­men­to de potên­cia dev­i­do ao fac­to de o óleo tam­bém ser com­bustív­el (por favor não exper­i­mente isto no seu car­ro). Como o fazem? Não sabe­mos, mas a FIA quer garan­tir que ape­nas com­bustív­el chega à câmara de com­bustão, pelo que, reduzin­do a quan­ti­dade de óleo disponív­el, min­i­miza-se a arti­man­ha.

Out­ras mudanças imple­men­tadas em 2018 são: a forte diminuição da bar­batana exis­tente na parte pos­te­ri­or do car­ro, a supressão da asa em T exis­tente na extrem­i­dade da bar­batana, a supressão da asa exis­tente por trás do escape (acen­to de maca­co) e o deslo­ca­men­to deste mais para trás. Out­ra mudança na área da segu­rança é a de que cada roda terá um entre­laça­do de 3 cabos a prendê-la à estru­tu­ra, por for­ma a que, em caso de aci­dente, não seja pro­je­ta­da.

Ao nív­el dos pneus a Pirelli apre­sen­ta este ano mais dois com­pos­tos: O Super­duro (cor laran­ja) e o Hiper­ma­cio (cor rosa). Na real­i­dade não se espera que o Super­duro ven­ha a ser uti­liza­do, pelo que o con­jun­to glob­al de pneus disponíveis aca­ba por ser mais macio do que era em 2017 e, con­se­quente­mente, mais rápi­do.

O códi­go de cores dos pneus é o seguinte: Super­duro — Laran­ja; Duro — Azul; Médio — Bran­co; Macio — Amare­lo; Super­ma­cio — Ver­mel­ho; Ultra­ma­cio — Roxo e Hiper­ma­cio — Rosa.

Qual a resposta dos construtores?

A respos­ta dos con­stru­tores não fugiu muito do que seria de esper­ar. A Sauber arriscou, A Mer­cedes e a Fer­rari evoluiram, todos os restantes, sem cor­rer grandes riscos, der­am alguns pas­sos em frente em função do que foi o car­ro de 2017 e do que pre­ten­dem (ou podem) con­seguir em 2018.

Alfa Romeo Sauber assume os riscos.

A Sauber teve, em 2017, um dos seus piores anos de sem­pre. Com motores Fer­rari de 2016 e um car­ro aero­d­i­nami­ca­mente pouco desen­volvi­do, a equipa suiça ficou-se pelo últi­mo lugar da clas­si­fi­cação final com 5 pon­tos obti­dos por Pas­cal Wehrlein. A apos­ta da Alfa Romeo, ao jun­tar o seu nome à equipe suiça, deu um novo alen­to que se traduz­iu pelos motores Fer­rari de 2018, bem como um maior envolvi­men­to da mar­ca do cav­al­in­ho no desen­volvi­men­to do car­ro de (notório nas soluções ado­tadas em ambos os car­ros) e num promis­sor pilo­to apoia­do pela Fer­rari, Charles Leclerc.

Como resul­ta­do a Alfa Romeo Sauber foi a equipa mais ino­vado­ra apre­sen­tan­do um car­ro que, face à con­cor­rên­cia (fal­tam ape­nas apre­sen­tar dois car­ros e não é expec­táv­el que qual­quer um deles vá tão longe nas soluções escol­hi­das) é rad­i­cal­mente difer­ente. Res­ta saber se, em pista, as soluções escol­hi­das vão dar o fru­to esper­a­do.

O Alfa Romeo Sauber apre­sen­ta soluções que podemos ver na Mer­cedes AMG, na Fer­rari ou na Aston Mar­tin Red­Bull.

Por exem­p­lo, na frente, a mar­ca escol­he uma maior altura entre os triân­gu­los da sus­pen­são, com o triân­gu­lo supe­ri­or a ado­tar uma posição mais alta e prati­ca­mente hor­i­zon­tal, tal como vimos no Mer­cedes AMG de 2017 e ago­ra no de 2018. Tam­bém encon­tramos duas entradas de ar no nar­iz (lat­erais) e uma saí­da de ar mais aci­ma, logo atrás da ante­na. Solução semel­hante à que encon­tramos no Aston Mar­tin Red­Bull que apre­sen­ta uma entra­da de ar no cen­tro do nar­iz e uma saí­da no topo.

É nos flan­cos que encon­tramos a maior difer­ença rel­a­ti­va­mente aos con­cor­rentes. O Alfa Romeo Sauber pos­sui uma entra­da prin­ci­pal maior e em posição mais baixa que os restantes car­ros até ago­ra apre­sen­ta­dos. para além dis­to cada flan­co apre­sen­ta uma segun­da entra­da de ar, aci­ma da prin­ci­pal e logo atrás dos espel­hos retro­vi­sores.

A toma­da de ar colo­ca­da aci­ma do capacete é, na práti­ca um con­jun­to de três tomadas de ar. Uma maior, colo­ca­da aci­ma do capacete e divi­di­da em duas pelo pilar cen­tral; Out­ra aci­ma des­ta e ligeira­mente mais recua­da e, final­mente duas lat­erais na extrem­i­dade ante­ri­or da bar­batana tra­seira.

Todos os restantes rep­re­sen­tam evoluções do car­ro de 2017. Nos casos da Mer­cedes AMG e da Fer­rari e ten­do por base os dois mel­hores car­ros da época transa­ta, é notória a con­sistên­cia. O tra­bal­ho aerod­inâmi­co é sub­stan­cial, não só no sen­ti­do de pre­gar o car­ro à pista, mas tam­bém no de levar o ar pelos cam­in­hos pre­tendi­dos, afa­s­tan­do-o de zonas dis­rup­ti­vas, provo­can­do tur­bulên­cia onde assim é pre­tendi­do e removen­do-a onde é prej­u­di­cial . Williams, Red­bull, Haas fiz­er­am todos um tra­bal­ho com vista a aprox­i­mação dos Fer­rari e Mer­cedes AMG. Estran­hamente a Renault foi a mar­ca que sur­preen­deu pela neg­a­ti­va. O car­ro não rep­re­sen­ta nen­hu­ma evolução sig­ni­fica­ti­va rel­a­ti­va­mente ao ante­ri­or. Não são encon­tradas novas soluções aerod­inâmi­cas, não recon­hece­mos nada dig­no de nota, mas quem sabe, talvez a mar­ca france­sa ten­ha algum trun­fo na man­ga que não con­seguimos descorti­nar com uma obser­vação aten­ta, mas lim­i­ta­da, do car­ro.

Barcelona recebe primeiros testes da temporada de 2018

Os primeiros testes da tem­po­ra­da começam já na segun­da-feira, 26 de Fevereiro de 2018, em Barcelona. Será a primeira vez que os car­ros se con­frontam em pista e, ape­sar de haver muito jogo escon­di­do, será uma opor­tu­nidade para perce­ber­mos um pouco mais acer­ca do val­or das opções ado­tadas pelas equipas.

 

 

 

Siga-me

Joao Lamares

Editor in Chief at JLpress News
Fotógrafo profissional desde 1999, colaborou com diversas empresas, agencias de publicidade e gabinetes de imprensa.
Colaborou com o Blog Fashion Heroines como fashion phortographer.
É o fotógrafo oficial da Colorida Art Gallery.
Fundou a JLpress Sport News and Photo em abril de 2016 onde acumula os cargos de Diretor de conteúdos e fotógrafo.
Joao Lamares
Siga-me