Formula 1: GP Azerbaijão — Baku, uma caixinha de surpresas?

Adver­tise­ments
RSS
GOOGLE
https://jlpress.com/pt/artigo/formula-1-gp-azerbaijao-13582/
YouTube
INSTAGRAM
SOCIALICON
Baku City Circuit, Azerbaijan.
Baku City Cir­cuit, Azer­bai­jan.

A For­mu­la 1 chega à Europa com o GP do Azer­bai­jão. Desen­hado nas ruas da cap­i­tal, Baku, o cir­cuito pos­sui várias par­tic­u­lar­i­dades: É o primeiro e um dos poucos que é per­cor­ri­do no sen­ti­do anti-horário com 12 das 20 cur­vas para a esquer­da. É o cir­cuito citadi­no mais rápi­do do cal­endário da For­mu­la 1 e o segun­do com menor apoio aerod­inâmi­co (após o de Mon­za). O cir­cuito é tam­bém um dos mais lon­gos do campe­ona­to.

O cir­cuito citadi­no de Baku pos­sui zonas muito ráp­i­das onde é pos­sív­el atin­gir veloci­dades supe­ri­ores a 350km/h (rec­ta da meta com 2,1km de exten­são) e zonas sin­u­osas e estre­itas (a mais estre­i­ta tem 7,6m de largu­ra), zona da cidade vel­ha, onde con­tor­na o palá­cio. Toda a zona mais sin­u­osa do cir­cuito é fei­ta a subir. Após uma peque­na desci­da entre as cur­vas 11 e 12, vol­ta a subir até à cur­va 13, ini­cian­do depois uma desci­da acen­tu­a­da até à cur­va 16. Toda esta zona é muito ráp­i­da com os car­ros a ultra­pas­sarem os 300km/h entre as cur­vas 12 e 15, uma esquer­da em cotovelo, fei­ta a descer a menos 100km/h. Entre as cur­vas 15 e 16, onde a desci­da é mais acen­tu­a­da, os car­ros chegam aos 260km/h, para voltarem a travar forte até aos 110km/h para uma esquer­da a 90º que dá aces­so à zona mais ráp­i­da do cir­cuito. Com as cur­vas 17, 18, 19 e 20 a serem real­izadas em acel­er­ação, os car­ros entram na rec­ta da meta a mais de 300km/h, alcançan­do os 350km/h antes da cur­va 1, out­ra esquer­da a 90º fei­ta a menos de 120km/h. Esta, con­sid­er­a­da a zona mais del­i­ca­da do cir­cuito.

Os travões são o com­po­nente mecâni­co que mais sofre. A cada pas­sagem da rec­ta da meta, com as veloci­dades atingi­das, os travões arrefe­cem sig­ni­fica­ti­va­mente, sendo no final da rec­ta sujeitos a uma solic­i­tação muito forte para a cur­va 1. A par­tir de aqui a tem­per­atu­ra vai subindo, para após a cur­va 16, voltarem a arrefe­cer acen­tu­ada­mente até à cur­va 1.

Baku, Azerbaijan.
Baku, Azer­bai­jan.

Numa com­para­ção entre Baku e Móna­co, Ric­cia­r­do afir­ma­va que enquan­to no Móna­co tudo tem a ver com a for­ma como o pilo­to real­iza as cur­vas, em Baku tudo depen­dia de quan­do  ele tra­va. Se tra­va muito cedo perde rit­mo e pode ser ultra­pas­sa­do, o cir­cuito pos­sui várias zonas de ultra­pas­sagem; se tra­va tarde, bate no muro. Não há mar­gens para erro. Enquan­to no Móna­co depende de quan­to um pilo­to é capaz de man­ter um rit­mo ele­va­do, em Baku depende de quão rápi­do ele con­segue chegar nas zonas ráp­i­das, retar­dan­do o mais pos­sív­el os pon­tos de trav­agem.

Para Baku, a Pirelli vai disponi­bi­lizar pneus Macios, Super-Macios e Ultra-Macios.

Com todas estas car­ac­terís­ti­cas, uma vez mais vai ser inter­es­sante ver qual o com­por­ta­men­to do Mer­cedes face aos adver­sários, Com o motor mais capaz de todos os con­cor­rentes, o Mer­cedes pode tirar van­tagem das zonas mais ráp­i­das do cir­cuito; mas com um chas­sis que penal­iza muito os pneus e com tão pou­ca margem de erro nas zonas mais sin­u­osas, fica a dúvi­da se Bot­tas e Hamil­ton con­seguirão tirar todo o par­tido do motor que têm.

Entre a Fer­rari e a Red­Bull, a casa de Marane­lo parece estar em van­tagem. Tem o con­jun­to mais equi­li­bra­do de todos, o que poderá dar fru­tos no Azer­bai­jão. No entan­to, a mar­ca Ital­iana tem anda­do aquém do esper­a­do nas oper­ações de box e nas escol­has estratég­i­cas, área onde a Red­Bull tem esta­do muito bem. Tão bem que arreba­tou a vitória no GP da Chi­na. Não nos sur­preen­dia nada que voltasse a gan­har aqui, no Azer­bai­jão.

Quan­to aos restantes, sabe­mos que a Renault vai apre­sen­tar um upgrade ao seu RS18, sobre­tu­do no que respei­ta à aerod­inâmi­ca. Será sufi­ciente para faz­er frente a uma Mclaren que, ape­sar de todos os prob­le­mas con­stata­dos nos testes de Barcelona, é quar­ta na clas­si­fi­cação de con­stru­tores, com 3 pon­tos de van­tagem sobre a con­génere france­sa?

Toro Rosso, Haas e Force India tam­bém terão uma palavra a diz­er. Depen­den­do muito das cir­cun­stân­cias de cor­ri­da, poderão vir a sur­preen­der. Já a Williams não parece estar em condições de faz­er o bril­harete do ano pas­sa­do, onde chegou ao podio. A Sauber Alfa Romeo, dada a sua juven­tude e ape­sar de alguns resul­ta­dos sat­is­fatórios nas últi­mas cor­ri­das, não nos parece estar em condições de faz­er mais do que somar alguns pon­tos. O que seria mes­mo muito bom para a equipa italo/suiça.

Com tudo isto e uma pita­da do desas­troso Ver­stap­pen, tudo pode acon­te­cer no Azer­bai­jão. A cor­ri­da começa às 13:10 de Domin­go, hora de Por­tu­gal con­ti­nen­tal. A qual­i­fi­cação tem lugar no Sába­do às 14:00.

Similar Posts: