Você está aqui

Formula 1: Grande Prémio do Mónaco

Adver­tise­ments
RSS
GOOGLE
https://jlpress.com/pt/artigo/formula-1-monaco-16622/
YouTube
INSTAGRAM
SOCIALICON
Monaco GP, Cuva do Casino, Monte Carlo, Monaco | Photo Fia Formula 1
GP, Cur­va do Casi­no, Monte Car­lo, | Pho­to

O GP está aí. Provavel­mente uma das mais esper­adas provas auto­mo­bilís­ti­cas do ano, a cor­ri­da do prin­ci­pa­do reúne tudo o que tor­na este mun­do das cor­ri­das num con­to de fadas. Príncipes, Prince­sas, Muito Charme e no fim, um Herói. Sim, porque quem vence no será sem­pre um Herói.

Con­tos de fada à parte; o que podemos esper­ar da cor­ri­da do fim de sem­ana? é uma cor­ri­da muito espe­cial é o “out­sider” do campe­ona­to. Des­de logo é o cir­cuito mais cur­to, logo o que tem mais voltas (78). É tam­bém o cir­cuito com mais exigên­cias, seja para con­stru­tores, seja para pilo­tos.

Ao nív­el dos con­stru­tores e para além dos esforços que fazem para aumen­tar a “down­force” dos car­ros, a mod­i­fi­cação mais sub­stan­ti­va é impos­ta pela cur­va do anti­go Hotel Loews, hoje Hotel Fair­mont. É um gan­cho de tal for­ma aper­ta­do que obri­ga as equipas a diminuir o raio de cur­vatu­ra do car­ro. Caso esta mod­i­fi­cação não seja imple­men­ta­da o pilo­to, na entra­da da cur­va, vê-se obri­ga­do a alargar a tra­jec­tória para depois con­seguir realizar a cur­va. Quan­do imple­men­ta­do, este acrésci­mo na capaci­dade de cur­var, per­mite que o pilo­to abor­de a cur­va direc­ta­mente e a faça de uma só vez, gan­han­do tem­po pre­cioso.

2018 Grande Premio do Monaco, curva do Hotel Fairmont | Photo Steve Etherington/Mercedes AMG
2018 Grande Prémio do , cur­va do Hotel Fair­mont | Pho­to Steve Etherington/Mercedes AMG

Vencer no depende muito da posição que se ocu­pa na grel­ha. A posição em cor­ri­da é fun­da­men­tal e par­tir na frente é, provavel­mente 75% da cor­ri­da gan­ha. No prin­ci­pa­do, a estraté­gia é out­ra das maiores dores de cabeça de uma equipa. Começa logo na Q1, onde com 20 car­ros em pista é muito difí­cil con­seguir uma vol­ta limpa. Depois na Q2 deci­dem-se os pneus com que vamos ini­ciar a cor­ri­da e, con­se­quente­mente a estraté­gia de par­a­gens na box.

Como dis­se­mos, a posição de cor­ri­da é fun­da­men­tal. O cir­cuito de Monte Car­lo não tem pon­tos de ultra­pas­sagem, pelo que se a estraté­gia não for muito bem afi­na­da e algu­ma coisa não cor­rer na per­feição, a cor­ri­da pode estar per­di­da.

No que respei­ta aos pilo­tos, é para super-home­ns. O cir­cuito é tão estre­ito que a margem de erro para o pilo­to pode vari­ar entre 1 e 2 cm. A é tudo em Monte Car­lo. Difer­entes cur­vas exigem enorme mes­tria dos pilo­tos. O S (cur­vas 13 e 14) na entra­da das pisci­nas, no final de uma zona muito ráp­i­da que se ini­cia a seguir à chi­cana e pas­sa pela cur­va da tabacaria. Os car­ros entram nesse S muito rápi­dos e encon­tram out­ro S (cur­vas 15 e 16) de saí­da das pisci­nas, muito mais lento. O mais pequeno erro é o fim da cor­ri­da.

Out­ro pon­to é a cur­va 8, Porti­er, na entra­da do túnel após as cur­vas de Mirabau e do anti­go Hotel Loews. Mais um pon­to onde  um pequeno deslize pode ter­mi­nar com a cor­ri­da nos rails.

Romain Grosjean, #8 Haas F1 VF-18 Ferrari | Photo Haas F1
Romain Gros­jean, #8 Haas F1 VF-18 Fer­rari | Pho­to Haas F1

As restantes cur­vas, La Ras­casse, Saint Devote, Massenet Casi­no e Mirabau Alta, são pon­tos que, quan­do mal abor­da­dos, com­pro­m­e­tem seri­amente a fase seguinte da pista, mas não dec­re­tam, nec­es­sari­a­mente, o final da cor­ri­da.

Uma coisa é cer­ta! Não é qual­quer pilo­to que con­duz em Monte Car­lo e só os excep­cionais con­seguem vencer. Para tal, o pilo­to, tem de ser capaz de reunir 3 qual­i­dades: , e

Quan­to à cor­ri­da deste fim de sem­ana? Bom, é prováv­el que haja algu­mas sur­pre­sas. Des­de logo a Aston Mar­tin Red­Bull Rac­ing que nos treinos livres de 5ª feira deixou os seus adver­sários direc­tos (Mer­cedes e Fer­rari) a quase meio segun­do. Ric­cia­r­do foi o mais rápi­do fazen­do uma vol­ta no tem­po de 1:11,841, alu­ci­nante! Ver­stap­pen foi o segun­do mais rápi­do a ape­nas 0,194s deo seu cole­ga de equipa. Vet­tel foi o ter­ceiro a 0’572s de Ric­cia­r­do e Hamil­ton ocupou a 4ª posição a 0,695s.

2018 Grande Premio do Monaco, Mercedes AMG F1 W09 EQ Power+, #77, Valtteri Bottas | Photo  Steve Etherington
2018 Grande Prémio do , Mer­cedes AMG F1 W09 EQ Pow­er+, #77, Valt­teri Bot­tas | Pho­to Steve Ether­ing­ton

A Renault assum­iu o 1º lugar do 2º pelotão com Hulken­berg a 1,206s de Ric­cia­r­do, mas ape­nas 0,405s de Bot­tas. Van­doorne, Alon­so, Sainz e Hart­ley, ficaram a seguir, todos eles muito próx­i­mos uns dos out­ros.

Não será de estran­har que os Williams pos­sam imis­cuir-se no meio do pelotão e, até, chegar aos pon­tos; assim como qual­quer dos pilo­tos da Alfa Romeo Sauber.

Res­ta saber o que vai acon­te­cer a Ver­stap­pen. O pilo­to da Red­Bull, após uma saí­da em Saint Devote, reen­trou em pista em mar­cha-atrás numa entra­da con­sid­er­a­da perigosa e que mere­ceu a análise do colé­gio de comis­sários.

Fal­ta ain­da a sessão de treinos  3 que vai decor­rer no Sába­do entre as 11 e 12 horas.  Vamos estar aten­tos aos treinos de qual­i­fi­cação, ess­es sim, deci­sivos, que serão no Sába­do entre as 14 e as 15 horas.

O grande prémio será no Domin­go às 14:10 e terá 78 voltas ou 2h de duração.



 

Artigos relacionados

X